O que é AVC?

Escrito por em 1 de abril de 2024
Junte-se a mais de 2000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Introdução

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma condição grave que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Também conhecido como derrame cerebral, o AVC ocorre quando o suprimento de sangue para uma parte do cérebro é interrompido, resultando em danos às células cerebrais. Existem diferentes tipos de AVC, cada um com suas próprias causas e sintomas. Neste glossário, vamos explorar o que é AVC, seus tipos, sintomas, fatores de risco, diagnóstico e tratamento.

O que é AVC?

O AVC é uma condição médica que ocorre quando o suprimento de sangue para uma parte do cérebro é interrompido, seja por um coágulo sanguíneo ou por um vaso sanguíneo rompido. Isso resulta em danos às células cerebrais, levando a sintomas como fraqueza repentina em um lado do corpo, dificuldade para falar, visão turva e dor de cabeça intensa. O AVC é uma emergência médica que requer atenção imediata, pois pode causar danos permanentes ou até mesmo ser fatal.

Tipos de AVC

Existem dois tipos principais de AVC: o AVC isquêmico e o AVC hemorrágico. O AVC isquêmico ocorre quando um vaso sanguíneo no cérebro é bloqueado por um coágulo sanguíneo, impedindo o fluxo de sangue para uma determinada área. Já o AVC hemorrágico acontece quando um vaso sanguíneo no cérebro se rompe, resultando em sangramento no tecido cerebral. Ambos os tipos de AVC podem causar danos significativos ao cérebro e exigem tratamento médico imediato.

Sintomas do AVC

Os sintomas do AVC podem variar dependendo da área do cérebro afetada e do tipo de AVC. Alguns dos sintomas mais comuns incluem fraqueza súbita em um lado do corpo, dificuldade para falar ou entender a fala, confusão, tontura, perda de equilíbrio, visão turva, dor de cabeça intensa e dificuldade para engolir. É importante estar ciente desses sintomas e procurar ajuda médica imediatamente se você ou alguém que você conhece apresentar esses sinais.

Fatores de Risco

Existem vários fatores de risco que podem aumentar a probabilidade de uma pessoa ter um AVC. Alguns dos principais fatores de risco incluem hipertensão arterial, diabetes, tabagismo, obesidade, colesterol alto, histórico familiar de AVC, idade avançada e falta de atividade física. Controlar esses fatores de risco por meio de mudanças no estilo de vida e tratamento médico adequado pode ajudar a reduzir o risco de AVC.

Diagnóstico

O diagnóstico de um AVC geralmente envolve uma combinação de exames físicos, testes de imagem e avaliação dos sintomas do paciente. Os médicos podem solicitar exames como tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM) para visualizar o cérebro e identificar possíveis danos causados pelo AVC. Além disso, exames de sangue e avaliação da função cerebral também podem ser realizados para determinar a gravidade do AVC e o melhor curso de tratamento.

Tratamento

O tratamento de um AVC depende do tipo de AVC, da gravidade dos sintomas e do tempo decorrido desde o início dos sintomas. O tratamento pode incluir a administração de medicamentos para dissolver coágulos sanguíneos, cirurgia para reparar vasos sanguíneos danificados, reabilitação física e terapia ocupacional para ajudar na recuperação. É essencial procurar ajuda médica imediatamente ao suspeitar de um AVC, pois o tratamento precoce pode ajudar a reduzir os danos cerebrais e melhorar as chances de recuperação.

Prevenção

Embora nem todos os casos de AVC possam ser prevenidos, há medidas que podem ser tomadas para reduzir o risco de ter um AVC. Manter uma dieta saudável, praticar atividade física regularmente, controlar a pressão arterial e o colesterol, não fumar, limitar o consumo de álcool e manter um peso saudável são algumas das maneiras de reduzir o risco de AVC. Além disso, é importante estar ciente dos sintomas do AVC e procurar ajuda médica imediatamente ao suspeitar de um AVC.